Alegria em meio a dor, é possível?

“Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos”. Filipenses 4:4.

Farei uso das palavras do apóstolo Paulo que chamam muito a minha atenção e têm um aprendizado esplêndido. Tive a curiosidade de pesquisar quantas vezes Paulo cita a palavra “alegria” ou seus sinônimos na Carta aos Filipenses, nada mais que 16 vezes em apenas quatro capítulos (1.4; 1.18; 1.25; 2.2; 2.17; 2.18; 2.28; 2.29; 3.1; 4.1; 4.4; 4.10). Não precisamos nem fazer uma minuciosa análise literária para saber que o coração do apóstolo estava cheio de ânimo, satisfação e alegria. O mais curioso de tudo isso é saber onde Paulo se encontrava, preso por causa do Evangelho, essa carta também pode ser chamada de “epístola da prisão”. Não resta dúvida que essa é uma carta de gratidão pela vida dos irmãos filipenses.

Talvez você esteja pensando, mas Paulo não esteva com dor, estava preso, isso é diferente. Sim, talvez Paulo não tivesse sofrendo uma dor física, mas é bem provável que por muitas vezes, Paulo tenha sentido dor na alma. A nossa dor, muitas vezes não são por causa de doenças, mas podem vir por um casamento desfeito, um filho que saiu de casa, a filha que engravidou antes do tempo, o desemprego do marido que sustentava a casa, a falta de recursos para se especializar em algo, o sentimento de não estar fazendo a coisa certa e de nem estar no lugar certo, a doença sim, que muitas vezes vem sem avisar e nos pega de surpresa, etc. São muitas coisas que nos causam dor, muitas mesmo, acrescente nessa lista a sua dor…

Ah, minha irmã, com certeza não é fácil manter um sorriso no rosto quando tudo está indo de forma completamente oposta ao que sonhou. Imagino que Paulo, aquele que antes consentia em prender cristãos, jamais pensou estar do outro lado da cena, mas a vida dá muitas voltas e quando Jesus entra em cena na nossa vida, toda a nossa história muda. Foi assim com Paulo, e não é diferente com você.

O que aprendemos com ele é que a sua alegria era plena por causa de Cristo, não que ele não tivesse medo, não que ele não ficasse preocupado, não que ele não se aborrecia…ele era humano como todas nós. Paulo não era um super crente, mas um ser humano com crises como nós, porém era um servo de Deus que sabia em quem se alegrar, e era isso que fazia a diferença em sua vida.

Vou repetir o que ele disse: Alegrai-vos no Senhor, esse era o segredo de Paulo. Sua alegria vinha de Cristo, aquele que nunca falhou e nunca o abandonou, era em Cristo que Paulo se regozijava, esse Cristo que entregou Sua preciosa vida por ele e o fez entender que nessa vida, só teremos alegria verdadeira e real se nossa vida estiver ligada, conectada em Deus. Só Ele poderá nos dar alegria plena e constante.

Minha querida irmã, mesmo nos sofrimentos, nas dores, nas tristezas…saiba que quando colocamos nossos olhos Nele, nosso coração Nele e nossos ouvidos Nele podemos ouvir Sua doce voz nos dizendo: “Estou contigo até a consumação dos séculos” (Mt.28.20) Eu Sou o Emanoel (Deus conosco)! Deus contigo, que passa todas as dores contigo e por isso você pode se alegrar em Mim!

E então concluo essa breve reflexão com você respondendo à pergunta inicial: Alegria em meio a dor é sim possível, pois a nossa alegria vem de Deus, o nosso Deus!

Por: Miss. Eliane Salvador Corrêa da Silva, esposa do Pastor Magno Batista da Silva e mãe de Alexandre e Gabrielly, pastoreia a Igreja Adventista da Promessa em Pq. Edu Chaves, São Paulo.