Ah, esse coração!

Segundo o Ministério da Saúde 7,6 milhões de pessoas morrem anualmente (no mundo) por problemas no coração.

E hábitos saudáveis tais como: uso moderado do açúcar, reduzido consumo de sal e carnes vermelhas, aliados a prática regular de exercícios físicos contribuem para um coração mais forte e longevo.

Considerado pela medicina um órgão vital e fonte de vida para o corpo, nosso coração também é fonte de vida para nossa alma. É nele que nossas intenções, emoções, vontades, motivações, sonhos, metas e decisões brotam e nos impulsionam.

É muito comum ouvirmos a frase: “Siga o teu coração” ou “Faça o que o teu coração mandar”, mas será que realmente nosso coração é confiável? Como já dizia o sábio Salomão: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida” Provérbios 4:23. Mas guardar de quem afinal? De nós mesmos! A nossa natureza humana é falha, cheia de desvios tendenciosos ao pecado, e sem que percebamos vamos nos direcionando a caminhos largos e tortuosos. Fomos concebidos em pecado e cada dia é uma luta contra isso, contra a vontade humana, contra a carne. Não é fácil, pois faz parte de nós, e enxergar que a nossa vontade nem sempre é a melhor (vontade de Deus) exige intimidade e comunhão com Deus.

Jeremias 17:9-10 nos diz: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Eu, o Senhor, esquadrinho o coração e provo os rins; e isto para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações”. Ah se soubéssemos como tão facilmente engamos a nós mesmos, e muitas vezes ainda acreditamos estar certos!

Inspirado pelo Espírito de Deus, o profeta nos alerta sobre a natureza má do nosso coração, que pensamos que nos conhecemos, mas na verdade não. Pensamos que somos bons, que nossas atitudes são de bem e agradáveis a Deus, mas sobretudo somente o nosso Deus conhece o nosso coração, nosso íntimo, nosso interior.

Portanto, mesmo em nossas imperfeições podemos (devemos) reconhecer a nossa dependência d’Ele, e pedir que trate os nossos corações e os sonde, conduzindo-nos pelo seu caminho eterno.

Que a cada dia possamos buscar uma vida de santidade e retidão, não por nós mesmos, mas através do auxílio do Espírito Santo, de forma que enxerguemos a sua boa, agradável e perfeita vontade, porque os seus planos para nós são planos de bem e não de mal, são planos de vida eterna.

E que o Senhor por seu infinito amor e graça nos conceda um coração segundo o Seu coração (d’Ele).

Juliana Pessopane dos Santos Brito, congrega na 1° Igreja Adventista da Promessa em Jales, casada com Douglas Granetti, mãe do Lorenzo e Vinícius.