A MULHER QUE DESEJO SER

A mulher que desejo ser possui a fé inabalável. A fé alimenta a esperança das coisas que anelamos e a prova das que não vemos.
A mulher que desejo ser, anda tanto pela fé como pela vista. Ela está convicta de que “sem fé é impossível agradar a Deus”. – Fé em Deus.
A mulher que tenho em mente anda com segurança em todas as circunstâncias da vida. A fé infunde-lhe coragem. Ela se lembra da promessa da Bíblia Sagrada: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza; socorro bem presente na angústia. Pelo que não temeremos ainda que a terra se mude, ainda que os montes se transportem para o meio dos mares.”
A coragem da mulher ideal é contagiante. Na companhia dela os tímidos perdem a timidez. As medrosas criam coragem. E a sua coragem parte de um coração puro.
A fé, a coragem, a pureza, geram a paz. Doce paz, maravilhoso Dom que vem de Deus. Isaías disse: “Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme; porque ele confia em ti.” A mulher que aspiro ser já aprendeu a não se inquietar por coisa alguma. Antes as suas petições são em tudo conhecidas diante de Deus. Não existem no seu vocabulário palavras como: preocupação, ansiedade, dúvida, fracasso, desânimo. Uma grande qualidade existente nela é o senso de humor. Sabe rir de seus erros. Gosta de coisas alegres. Não leva ofensas.
O que mais aprecio nessa mulher é o amor – um coração cheio de amor para com Deus e para com a humanidade. Este amor é imparcial não conhece barreiras sociais nem raciais porque é pelos olhos de Deus que ela vê todas as pessoas. A mulher que ama é compreensiva, prestativa, paciente e bondosa. Não se sente inferior nem superior. Respeita a todos.
A mulher que ama sinceramente reconhece as diferenças de personalidade. Não forçando para que as pessoas diferentes sejam padronizadas segundo o seu próprio modelo, mas crê que todas empregam a diversidade dos seus dons no serviço do Mestre.
A mulher que ama sabe ouvir os problemas dos amigos, regozijando-se com suas vitórias e orando nos seus sofrimentos. O amor adorna-lhe o coração, a vida.
Esta mulher que desejo ser sabe aproveitar todos os dons de que é dotada, porque reconhece humildemente, que tudo é de Deus e que ela é apenas um vaso frágil nas mãos divinas. Aprendeu, pela experiência da vida, que um vaso frágil entregue plenamente àquele que o criou, poderá ser um “vaso de bênçãos”, neste mundo tão cheio de “vasos quebrados”.

Dsa Thecla Brito