A intercessão do crente

I Timóteo 2: 1- 8

A Bíblia refere-se constantemente às orações intercessórias do crente e registra numerosos exemplos de orações notáveis e poderosas. A oração de Daniel no capítulo 9 é uma oração intercessória, pois ele ora contritamente em favor da restauração de Jerusalém e de todo o povo de Israel: “E dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para O buscar com oração e jejum, e pano de saco, e cinza.”  Daniel  9:3

 O apóstolo Paulo frequentemente pedia oração em seu próprio favor, sabendo que a sua obra não prosperaria se os crentes não orassem por ele: “E rogo-vos, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e pelo Amor do Espírito, que combatais comigo nas vossas orações por mim a Deus, para que seja livre dos rebeldes que estão na Judeia, e que esta minha administração, que em Jerusalém faço, seja bem aceita pelos santos; a fim de que, pela vontade de Deus, chegue a vós com alegria e possa recrear-me convosco. E o Deus de paz seja com todos vós. Amém!” Romanos 15:30-33

Tiago declara sem sombra de dúvida que o crente pode receber a cura física em resposta à oração da fé: “Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.”  Tiago 5:14 e 15

 Por que nem sempre há cura divina entre os crentes?

A Bíblia responde: “Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” Tiago 5:16

Ao retornar do trabalho missionário após dias longe de casa, um ilustre pastor, reúne-se com  os filhos. Ele pede água a um deles. O filho demora, mas quando reaparece, oferece um copo de suco de laranja ao pai. Ele ofereceu a ele mais do que o que foi pedido pelo pai.

 E o crente que intercede pelo outro? O que acontece?

Ele recebe bênçãos em dobro! “Mas bastante tenho recebido e tenho abundância; cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus. O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.”  Filipenses  4:18 e 19

É obra dignificante e aceita por Deus, “como cheiro de suavidade e sacrifício agradável” a Ele. É oferta apresentada a Deus. E tudo que é feito a um dos irmãos, por pequeno que seja, é feito como ao próprio Senhor.

O conhecimento da Palavra de Deus e oração contínua são colunas que sustentam toda a Igreja de Deus. Está escrito: “Orai sem cessar” I Tessalonicenses 5:17. Isso significa permanecer na presença do Pai, pedindo continuamente Sua graça e bênçãos. “Sem cessar” não significa estar continuamente repetindo orações formais. Pelo contrário, implica em orações de todos os tipos, que vem ao nosso espírito em todas as ocasiões durante o dia. “Orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos; E por mim, para que me seja dada no abrir da minha boca a Palavra com confiança, para fazer notório o mistério do Evangelho.”   Efésios 6: 18 e 19

A guerra do cristão contra as forças espirituais de Satanás exige dedicação à oração: “…Orando no Espírito, em todo tempo…” A oração não deve ser considerada apenas mais uma arma, mas parte do conflito propriamente dito, onde a vitória é alcançada, mediante a cooperação com o próprio Deus. Deixar de orar diligentemente, sob todas as formas de oração, em todas as situações, é render-se ao inimigo e deixar de lutar. Devemos tomar cuidado com certas atitudes. A Bíblia declara que devemos “seguir a paz e a santificação sem a qual não veremos o Senhor.”

Paulo a Timóteo nos orienta que “Não tenhamos contendas de palavras, que para nada aproveitam e são para a perversão dos ouvintes.”  II Timóteo 2:14

Paulo a Tito nos orienta para “Não entrarmos em questões loucas, genealogias e contendas e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs.” Tito 3:9

Paulo aos Efésios nos orienta a “Enchei-vos do Espírito. Falando entre vós com salmos, e hinos e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração.”  Efésios 5:18 e 19

Quão maravilhosa é a nossa postura sobre a oração constante e perseverante! A autora do livro “O Poder da Mulher que Ora” – Stormie Omartian declara que a “oração é a maior dádiva que podemos oferecer a qualquer pessoa.” Muitas pessoas escrevem para ela relatando como seus livros ajudaram a salvar seus casamentos, filhos ou a vida delas. Elas perguntam o que poderiam fazer por ela em troca. A resposta da escritora é sempre: “A maior coisa que você pode fazer por mim é orar por mim.”

“Temei a Deus e dai-Lhe glória, porque vinda é a hora do Seu juízo. E adorai aquele que fez o céu e a terra, e o mar, e as fontes das águas.”

Quando acontecem desastres, o espírito humano responde estendendo a mão para ajudar aqueles que são afetados. As pessoas ficam em filas para doar sangue. Milhões de dólares são doados para ajudar vítimas e suas famílias. Equipes de resgate trabalham por horas intermináveis. Mas o esforço mais essencial é realizado por outra equipe valente. Sua tarefa? Guardar e envolver o Mundo com oração. Aqueles que oram mantêm vivas as fogueiras da fé. Na maioria dos casos, nem sabemos seus nomes. Foi o que aconteceu com uma pessoa que orou em um certo dia, há muito tempo. Seu nome não é importante. Seu aspecto é imaterial. Seu sexo não vem ao caso. Seu título é irrelevante. Essa pessoa é importante não por conta de quem foi, mas sim pelo que fez.

Ela foi até Jesus em nome de um amigo. Seu amigo estava doente, e Jesus poderia ajudar. Era preciso que alguém fosse até Jesus, por isso esse alguém foi. Outros se preocupavam com o homem doente em outros sentidos. Alguns levavam comida, outros ofereciam tratamento; outros ainda consolavam a família. Cada papel foi importante. Cada pessoa foi útil, mas ninguém foi mais vital para aquele homem do que aquele que foi até Jesus.          João escreve: “Então as irmãs de Lázaro mandaram (alguém) dizer a Jesus: “Senhor, aquele a quem amas está doente.” João 11:3

Alguém levou o pedido. Alguém percorreu o caminho. Alguém foi até Jesus em nome de Lázaro. E, uma vez que alguém foi até Ele, Jesus respondeu. As orações dos santos são itens valiosos. João escreveu a história de Lázaro e foi cuidadoso ao mostrar a sequência: a cura começou quando o pedido foi feito. O apelo foi feito no amor perfeito do Salvador. Ele ouviu a oração. Ele silencia o céu para não perder uma palavra. Na história de Lázaro, Jesus parou tudo o que estava fazendo e prestou atenção nas palavras do homem. O mensageiro anônimo foi ouvido por Deus. A oração na terra aciona o poder de Deus no céu. Você é esse alguém no Reino de Deus. Suas orações levam Deus a transformar o Mundo. Talvez não entendamos o mistério da oração – não precisamos entendê-lo. Mas tudo isso está claro: as ações no céu começam quando alguém ora na terra. Que pensamento maravilhoso! Quando oramos, Jesus ouve. E quando Jesus ouve, o Mundo é transformado. Tudo porque alguém orou.

E naquele dia, Jesus dirá: “Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apoc.14:7 e 10

Olhem para o incensário de ouro:  “…e foi-lhes dado muito incenso para o pôr com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro que está diante do trono. E a fumaça do incenso subiu com as orações dos santos desde a mão do anjo até diante de Deus.”   Apoc. 8:3 e 4

Deus não deixa nossas orações de lado. Ele as reserva para o momento certo de serem atendidas. “…o Senhor Deus é a verdade; Ele mesmo é o Deus Vivo e o Rei Eterno.”  Jer. 10:10

 Dsa. Ivanete Pires da Rocha – IAP Vila Maria SP

Bibliografia:

Omartian, Stormie

O Poder da Mulher que Ora, Editora Mundo Cristão

 Lucado, Max

Dias Melhores Virão, Editora: Thomas Nelson Brasil