Maternidade, um nobre ministério

Antes de falar da essência da maternidade, é interessante entendermos a tríade da frase acima: Maternidade é o estado e qualidade de ser mãe; Nobre é a condição social de maior estrato em uma sociedade tendo certos privilégios concedidos por um soberano; e, Ministério é o exercício do dom de uma pessoa. Em Cl 4:17b, “Atenta para o ministério que recebeste no Senhor, para que cumpras”, reflete a ideia de ministério. Mulheres e mães, entender que a maternidade é um dom é um importante passo para que exerçamos este ministério com afinco e responsabilidade, uma missão complexa, e que precisa da ajuda de Deus para cumpri-la.

Temos vários exemplos na bíblia de mulheres que fizeram seu papel e honraram a Deus por terem o privilégio da maternidade, oferecendo seu filho para o serviço do Senhor. Ana, retratada em I Samuel 1:11, é um exemplo do que falo. Hoje a maternidade não é vista como um ministério nobre, uma vez que a sociedade tem colocado no coração das mulheres outras prioridades. Outrora algo honroso, hoje nem tanto! Sabemos que nem todas podem ter tal dom, em virtude da sua condição, por uma causa orgânica ou qualquer outra que a mulher se julgue incapaz de exercer tal função

Para a mulher, a maternidade é uma bênção divina, seja ela de origem uterina ou de coração, e esse nobre ministério deve ser algo que mexa com sua vida por completo, pois Deus, o autor da vida, incumbiu-te dessa tarefa importante em educar no caminho em que deve andar a criança que está sob sua responsabilidade (Pv 22:6). Jamais transfira esse papel de tão alto legado para outro fazer. Vemos que esse papel tão importante, tem sido transferido para outros exercerem (avós, centro educacional, “babás”, dentre outros), pessoas que nem sempre tem qualquer afinidade, compromisso ou amor para oferecer àquele que depende de cuidados, atenção e carinho.

Exercer esse sacerdócio é fazer uma escolha e se oportunizar desse privilégio nobre para poder cuidar, educar, ensinar e participar em todos os momentos da formação dessa criança, marcas que ficarão para vida toda. Vale ressaltar que a participação das mães na educação dos filhos, quando esta abraça essa missão, contribui para a construção de um caráter reto, firme, segundo a orientação e preceitos de Deus, e, é a obra mais importante que já foi confiada ao ser humano, pois quando plantamos, regamos e cuidamos colhemos bons frutos.

O inimigo tem investido por meio da mídia na influência do caráter de nossos filhos, talvez precisamos estar mais atentas, pois corremos o risco de perder nossos filhos para uma sociedade consumidora, podre e vazia, mas se participarmos na educação de nossos filhos teremos o benefício de acompanhar seu desenvolvimento físico e espiritual e com certeza teremos cidadãos segundo a vontade e desejo do Criador. O ministério nobre da maternidade é um presente que Deus nos confiou, portanto honremos esse ministério.

Por: Maria Marlene da Rocha Oliveira Casada com Daniel Assis de Oliveira a 32 anos, Mãe de 2 filhos: Mateus Rocha de Oliveira 30 anos e Stella Rocha de Oliveira 24 anos, Graduada em Enfermagem desde 2005 Especialização  em “Estratégia Saúde da Família” em 2009. Congrega na Igreja Adventista da Promessa de Sarandi.