O amor não se irrita facilmente.

Um amor que suporta. 

O dia a dia das mulheres está cada vez mais acelerado, desafiador e preocupante, pois sobre os nossos ombros estão as responsabilidades de cuidar da casa, marido, educar filhos e guiá-los nos caminhos do Senhor, ajudar os familiares, e, ainda achar tempo para nossos estudos e capacitações pessoais, trabalhar para ajudar no orçamento familiar, ter uma vida social, nos dedicar no trabalho da igreja de Cristo e, também, cuidar de nós mesmas.

Esses desafios trazem consigo inúmeras situações de pressão e problemas que nos levam a perder o controle e nos irritar facilmente, fazendo com que por meio das nossas atitudes, magoemos quem amamos, deixando de manifestar a luz de Jesus que deveria estar em nós.

De repente passamos a acreditar que somente com algo extraordinário conseguiremos ultrapassar essas barreiras. Realmente há um poder descrito na primeira carta de Paulo aos Coríntios 13.1-4, que emana da essência de Deus, o AMOR, em sua sublime adjetivação: “O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”

É um grande desafio sim exercer o amor quando em nossos relacionamentos diários somos afrontadas e confrontadas com atitudes injustas, caluniadas, agredidas psicologicamente e até mesmo mal compreendidas.

No entanto, temos que deixar para trás o amor phileo que se limita ao amor fraternal, familiar e entre amigos, mas dado na mesma proporção que você recebe, isto é, condicionado àqueles que me fazem bem.

Temos que exercer em nosso dia a dia o amor ágape que na sua essência é exercido independente das condições externas, pois ele é sacrificial, doador, não depende da ação do próximo e é esse o amor que Deus quer que tenhamos.

Somente por meio da maravilhosa graça do Pai e da ação contínua do Espírito Santo que poderemos nos aperfeiçoar a cada dia, mortificando a carne para que prevaleça em nós o fruto do Espírito que é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio – Gálatas 5.22

Deus que é amor nos ajudará nesse grande desafio, de exercer um amor que tudo suporta, no entanto façamos a nossa parte de buscar Dele esse exercício diário.

 

Dsa. Dafne Santos Bonamigo Reis, esposa do Dác Edson Dias Reis, mãe de 2 filhos, Davi Bonamigo Reis, 12 anos e Ester Bonamigo Reis, 7 anos. Congregamos na IAP Dom Aquino na Cidade de Cuiabá/MT. Bacharela em Direito, Empresária, Tesoureira da Resofap Matogrossense.