Tenho sido Maria ou Marta?

Ao olharmos para Maria e Marta vemos dois comportamentos diferentes. É muito fácil julgar Marta porque ela foi fazer as coisas de casa e não se assentou ao redor de Jesus para ouvi-lo, mas e nós? Temos nos comportado como Maria?

Se perguntarmos para as pessoas ao nosso redor sobre o tempo, certo é que a maioria delas – se não todas! – dirá que não tem tempo. A “falta de tempo” é o mal do século XXI e prova disso são problemas como depressão (excesso de passado) e ansiedade (excesso de futuro).

Nas minhas palavras eu corro o grande risco de ser julgada. Vou defender Marta! Marta não estava “errada”. Marta não é a “vilã” da história. Marta pode ser eu, Marta pode ser você.

Marta é aquela mulher que tem mil obrigações por dia. Marta é aquela mulher que antes de dormir fica passando e repassando em pensamento aquela lista (imensa) de coisas que precisa fazer no dia seguinte: desde comprar papel higiênico que está acabando até mandar aquele e-mail importante ou então pagar aquele boleto que vai vencer, ligar para a sogra, colocar a carne para descongelar já que ela receberá o casal de amigos para jantar com sua família, acompanhar os filhos na escola, comprar algum presente ou pensar numa surpresa para o marido que vai fazer aniversário etc. E ela pensa em tudo isso, e muito mais, que acaba até mesmo esquecendo de orar antes de dormir para agradecer pelo dia que venceu.

Marta pode ser usada para simbolizar a mulher deste século. O grande problema de Marta não foi se dedicar às suas tarefas. O problema foi que ela não priorizou a presença de Jesus. Marta precisava ter revisto suas prioridades. Ainda, Marta estava sobrecarregada, estava preocupada e inquieta: quando não priorizamos o que é essencial, as tarefas se tornam um fardo e não um prazer.

Reflita comigo: quantas vezes você já ficou de um lado para o outro, fazendo mil coisas ao mesmo tempo e parece que não fez absolutamente nada? O tempo não rende.

A boa notícia é que ainda dá tempo de revermos nossa postura. Sejamos como Maria! Jesus está sentado esperando que nos acheguemos a Ele. Além do texto base para essa reflexão (Lc 10:38-42), nos apoiemos em Mateus 6:33-34. Vamos priorizar o Reino e a Sua justiça e todas as outras coisas nos serão acrescentadas. Não nos preocupemos com o amanhã, basta ficarmos perto de Cristo e o mais Ele fará.

Graça e paz!

Por: Thaís Rodrigues Silva de Souza, congrega na IAP em Guaianazes/SP, casada, graduada em Letras e pós-graduanda em Interpretação da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS).

Nenhum comentário

Comentários estão desativados