Você é “filho do dono”, então se liga!

O dia começa e como todo cristão feliz, você acorda, faz sua oração, abre a janela (ou a porta), olha para fora e diz… “bom dia sol, bom dia árvore, bom dia rio, bom dia passarinho, bom dia sacola(?), bom dia poluição(?), bom dia lixo(?)”. Talvez você não acorde assim tão saltitante e feliz a ponto de dar “bom dia” para tudo, mas seja como for, que realidade vivemos! Uma realidade de descaso e agressão a tudo que foi criado por Deus. O salmista é claro ao dizer: “Do Senhor é a terra e tudo o que nela existe, o mundo e os que nele vivem” (Salmos 24:1). No entanto, quantos de nós enchemos a boca pra dizer “não sou dono do mundo, mas sou filho do Dono” – confesse, já usou esta frase?! Enfim, queremos a posse, mas não a responsabilidade de cuidar da possessão.

Um texto clássico sobre nossa responsabilidade ambiental é aquele que aparece antes, muito antes dos 10 mandamentos: “Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no Jardim do Éden para o cultivar e guardar” (Gênesis 2.15). Deus é direto: cultive E guarde! A tradução na Nova Versão Internacional (NVI) da Bíblia, usa o termo “cuidar dele” no lugar de “guardar”. Pois é “filho do dono”, tomar posse é bom, mas e cuidar? Vemos instituições pelo mundo como WWF, Greenpeace, e outras, empenhadas em proteger o meio ambiente, cuidando da fauna e flora. Saiba que muitos dos seus integrantes não têm nada de religiosos. Fazem o que fazem simplesmente por perceber que destruir o ambiente em que se vive é uma grande estupidez!

Temos a obrigação bíblica e mandatária de cuidar do ambiente em que vivemos; do ambiente que foi nos dado por Deus para viver. Ele nos rodeou de seres vivos incríveis, com suas peculiaridades e encantos, com suas forças e tamanhos, com suas cores e cheiros. Nossa gratidão deveria ser expressa no cuidado! No entanto, não é isso que vemos. Você e eu, como crentes na palavra de Deus, certos de que ela é divinamente inspirada para nos tornar perfeitos (II Timóteo 3:16-17) deveríamos ser os maiores defensores da natureza. Não precisa se jogar na frente de um petroleiro com um barquinho inflável, não precisa se embrenhar na mata para perseguir caçadores. Basta começar por coisas simples: recicle seu lixo, não jogue papel no chão, não suje a água dos rios a sua volta, prefira materiais recicláveis àqueles que não são. Coisas simples. Depois disso, se você quiser se cadastrar para aventuras maiores, tranquilo!

Seja através de coisas pequenas, seja através de coisas grandes, nunca se esqueça de que a recomendação bíblica é clara: “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” e “Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém.” (I Coríntios 10:31 e I Pedro 4:11). Que Deus nos abençoe!

Por: Airton Dias – Diácono na Igreja Adventista da Promessa em Vila Helena, Sorocaba, SP. Graduado em Física e mestre em Ciências de Materiais pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Doutor em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pós-doutor em Cronologia e Raios Cósmicos pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professor doutor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Foi secretário da Rumap Oeste Paulista (2005 a 20011) e é o atual secretário da Fumap. Casado com Hélida Maia Vasconcelos Dias.

Nenhum comentário

Comentários estão desativados