Uma rosa, seus espinhos e sua essência!

Como enxergamos uma rosa? Vemos a beleza somente no botão ou conseguimos ver nos seus espinhos? Por que temos a tendência de não vermos a beleza de uma rosa do caule ao botão?

Quando eu paro por alguns minutos e observo uma rosa acabo me identificando em seu caule.  Não sou lisa e tenho vários espinhos. Espinhos esses que muitas vezes machucam a mim e as pessoas ao meu redor. Alguns deles é possível tirar, outros eu terei que aprender a viver e a administrar. Precisarei estar atenta para que em um abraço eu não venha ferir o meu próximo. Se tirarmos todos os espinhos de uma rosa sua vida útil irá diminuir. Você já parou para pensar que vai precisar administrar a ideia de conviver com alguns espinhos?

A rosa só é bela se completa, botão, caule e seus espinhos. Deus criou junto com o botão os espinhos, porque assim necessário é. Nós, no decorrer da vida acabamos atraindo alguns espinhos, outras vezes arrancamos, mas de qualquer maneira somos seres com espinhos. Como lidamos com eles? Machucamos pessoas quando estamos perto? Ou há em nós espaço para que pessoas possam nos tocar sem se machucar? Como está nosso botão? Estamos fechados ou abertos? Somos artificiais ou naturais?

Encantamos um jardim ou somos apenas uma flor qualquer? Queremos ser uma flor onde todos veem e admiram a beleza ou seremos apenas flores de enfeites?

O problema não está nos espinhos, mas de onde tiramos os nutrientes para sobreviver. Se estamos plantados em um jardim teremos vida, agora se estamos fincados em um bloco de espuma nossa beleza está com os dias contados. Deus criou as flores para encantar um jardim. O lugar delas é plantada e não em vasos. Onde estão nossas raízes? Há espaço para essas raízes se desenvolverem? Como está nosso perfume? Exalamos o cheiro de Cristo? Toda flor tem seu perfume natural e particular.

Qual é o seu? Estamos sendo jardim ou vaso? Porque somos como o cheiro suave do sacrifício que Cristo oferece a Deus, cheiro que se espalha entre os que estão sendo salvos e os que estão se perdendo. 2 Coríntios 2:15

O nosso cheiro natural precisa ser faro para as pessoas. Quanto temos gasto com perfumes artificiais? Onde está a essência que estamos buscando? O que estamos exalando para as pessoas?

Que o nosso desejo seja querer estar plantados e retendo os nutrientes necessários e saudáveis para a nossa sobrevivência. Que não nos contentemos em sermos flores em vasos onde a vida estará restrita a dias. Mas que queiramos ser flores, plantadas e regadas por Cristo até o dia em que Ele achar que é necessário as pétalas começarem a cair e a vida deixar de existir porque assim Ele quis. Afinal Ele é o jardineiro. Ele sabe a hora de plantar, regar, podar e colher. Que exalemos Vida e não morte. Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas. 2 Coríntios 2:14b

Por: Maiara Hellmann Neves – Voluntária na Missão Avalanche – Vitória ES