Dia da Caridade: Além do olhar

“…Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no e foram-se embora, deixando-o quase morto. Por acaso, um sacerdote estava passando por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado. O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado. Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu, e moveu-se de compaixão. (Lc 10:30-33)

Quantas pessoas estão vivendo uma situação igual deste homem da parábola! Todos os dias encontraremos pessoas não apenas para olharmos e passarmos pelo outro lado, mas sim olharmos e agirmos. É a oportunidade que Deus nos dá para praticarmos a caridade. O amor nos faz olhar em uma só direção, não há desvios nesse caminho, passar por outro lado não é a atitude certa para o verdadeiro cristão. Tanto o sacerdote quanto o levita viram o que o samaritano viu, mas apenas o samaritano sentiu a dor daquele homem; ele conseguiu olhar além das feridas, ele enxergou a necessidade física, psicológica, financeira e porque não dizer a espiritual. A grande diferença deste samaritano é que ele não desviou o olhar daquela situação. O olhar do cristão deve contemplar o que outros não conseguem ver. A palavra de Deus nos informa na carta de Paulo à igreja de Corinto “o que permanece na vida do cristão é a fé, a esperança e o amor. Porém o maior é o amor” (1 Cor 13:13).

Aquele samaritano teve a oportunidade de praticar o que Jesus nos ensinou, “fazer o bem a todos”. Fazer o bem é uma questão de vida eterna, Jesus falou ao interprete da lei: “ame a Deus e ao próximo e viverás”. O bom samaritano nos ensina como amar a Deus e ao próximo. Amar a Deus é fazer pelo próximo o que Deus nos faz, e amar ao próximo é fazer ao outro o que nós gostaríamos de receber.

O amor nos leva para perto das pessoas e não para o outro lado do caminho. Precisamos estar no caminho! Pois é nele que aparecerão pessoas “espancadas” pelo pecado, é no caminho que iremos praticar os mandamentos da mutualidade. O samaritano é protótipo do próprio Cristo, que salva o homem e paga suas contas e ainda promete voltar para estar com ele. O viajante samaritano é o retrato do verdadeiro cristão; chega perto da pessoa aflita, necessitada, vê a situação e move-se de compaixão pronto a entregar-se com seus recursos e bens para ajudar.

Além do olhar, é imitar o Senhor.

Pastor Ezer Gomes Marialva, superintendente da Convenção Amazônica.

 

Nenhum comentário

Comentários estão desativados