Aprendendo com Maria Madalena

Maria Madalena era uma mulher liberta: A Bíblia menciona que ela fora liberta de sete demônios. Ou seja, ela precisou ser curada para só então poder andar ao lado de Jesus. Embora seu passado não seja mencionado nas Escrituras, podemos ter certeza que ela teve um encontro com Jesus (Lc 8:2).

Maria Madalena era uma mulher ajudadora: Não sabemos quem era a família de Maria Madalena, se ela tivera filhos ou marido em algum momento, porém ela ajudava a manter o ministério de Jesus com seus recursos financeiros (Lc 8:2-3).

Maria Madalena era seguidora e serva de Cristo: Ela caminhava com Jesus junto com os discípulos e outras mulheres. No momento da morte de Cristo ela foi reconhecida como aquela que estava com Jesus desde a Galileia (Mt 27:56) ou como a mulher que tinha subido para Jerusalém como Jesus, sobre outra perspectiva (Mc 15:41).

Maria Madalena era uma mulher adoradora: após a ressurreição de Jesus, junto com outras mulheres, ao vir o Mestre, Maria Madalena O adorou ao abraçar Seus pés (Mt 28:9).

Maria Madalena era uma mulher sensível, espiritual e apaixonada por Jesus: Deus criou a mulher com uma capacidade absurda para perceber e sentir as emoções e com Maria Madalena não foi diferente, ela era sensível. Não é à toa que ela chorou à entrada do sepulcro. Seu sofrimento foi tão intenso porque ela sentiu a dor de perder o Mestre (assim ela imaginou). Ela tinha um coração puro e sensível, era uma mulher apaixonada por Cristo (Jo 20:10-15).

Maria Madalena era uma mulher íntegra e de confiança: foi dada à Maria Madalena a missão e a responsabilidade de contar aos discípulos que Jesus ressuscitou e que voltaria ao Pai (Jo 20:17-18). Não era qualquer missão! Mas, por que logo para uma mulher? Até imagino a emoção, o cuidado ao escolher as palavras, os detalhes da aparição. A maioria das mulheres (senão todas!) gostam de contar histórias…

Maria Madalena era uma mulher íntima de Jesus: Embora o “Madalena”, segundo alguns estudos, indicasse que ela teria vindo de Magdala (uma cidade na costa sudoeste do Mar da Galileia), quando Jesus a chamou, Ele apenas disse “Maria!” (Jo 20:16). Até consigo visualizar esse contato. Mesmo que a questão não fosse o nome em si, tenho certeza que Jesus não precisou dizer mais nada para ela. É isso o que acontece quando temos intimidade com uma pessoa que amamos…

Para finalizar, a característica mais intensa de todas:

Maria Madalena era uma líder: em nenhum dos evangelhos nós podemos citar qual versículo diz isso com todas as letras, porém, Maria Madalena recebe certa importância nos relatos. Seu nome é colocado sempre em “primeiro lugar” nas narrativas. Vejamos: no livro de Mateus aparece a expressão “Muitas mulheres” e depois as mulheres são citadas: Maria Madalena, Maria (mãe de Tiago e José) e a mãe dos filhos de Zebedeu (que nem tem seu nome mencionado), exatamente nesta ordem (Mt 27:55). Ainda, aparece também da seguinte forma: “Maria Madalena e a outra Maria (Mt 28:1)”. Em Marcos, encontramos “Maria Madalena, Salomé e Maria, mãe de Tiago (Mc 16:1)”. Já o evangelho de Lucas, apenas menciona “as mulheres” no começo do capítulo 24 e depois cita “Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago, e as outras que estavam com elas (Lc 24:10)”. Ainda, sob o ponto de vista de João, apenas Maria Madalena é citada no episódio da ressurreição de Jesus (Jo 20:1; 10-18).

Ao analisarmos os textos acima, podemos perceber que Maria Madalena é a única citada nos quatro evangelhos e mais, seu nome é sempre o primeiro a ser lembrado. Seria apenas uma coincidência? Com certeza não! Ao lermos e conhecermos a história de Maria Madalena nós podemos entender sua importância na sociedade cristã.

Mas, e eu? O que minha vida tem a ver com a vida de Maria Madalena? Como posso melhorar como mulher ao olhar para esse lindo testemunho? Deus nos deixa a seguinte pergunta: tenho sido uma mulher influenciadora bem como Maria Madalena foi e ainda é? Meu testemunho tem impactado vidas positivamente? Como as pessoas me veem: como a Maria Madalena antes da libertação ou como a Maria Madalena transformada, sensível, íntegra, íntima de Jesus etc?

Que Deus nos faça mulheres melhores todos os dias para que honremos seu santo nome aqui na terra e cumpramos a nossa missão como filhas de Deus.

Graça e paz.

Thaís Rodrigues Silva de Souza, casada, graduada em Letras e pós-graduanda em Interpretação da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), congrega na IAP em Guaianazes, SP.