Alegria: uma prática

“A alegria está no coração de quem já conhece a Jesus,…” quem já não cantou essa canção inúmeras vezes? Estamos tão acostumados a falar de alegria. Escutamos, lemos e cantamos sobre ela. Esse tema é recorrente no nosso dia a dia. Há palestras, workshops, treinamentos e guias de autoajuda para auxiliar quem almeja alcançá-la. Mas embora se fale tanto dela, nem sempre a vemos nos olhos das pessoas ao nosso redor.

Mas se quem tem Jesus no coração é feliz, por que nos entristecemos? Por que vivemos momentos ruins e por vezes quase desfalecemos? Por que nos entregamos aos desgostos da vida? E por que parece que, não poucas vezes, a tristeza toma conta do nosso ser, ao ponto de acharmos que nada pode trazer a alegria de volta e nem sanar nossa dor?

Nos esquecemos que alegria não é só um sentimento momentâneo que experimentamos quando damos risadas ou quando algo bom acontece. É inútil associá-la as coisas temporárias dessa vida (Ec 2:1). Alegria é prática de vida. Ela decorre da nossa experiência pessoal com Deus. Quando o Espírito Santo passa habitar o ser humano, Ele manifesta seu fruto, e é aí que a alegria se torna intrínseca do cristão.

Jamais podemos achar que andar com Deus é experimentar uma vida total de prazeres, sem decepções, frustações, dor, desânimo, tristeza. Isso não é cristianismo. Vivemos as falácias do pecado, e suas manifestações mais cruéis. Embora não pertençamos a esse mundo (Jo 17:14), estamos nele.

Mas se existe Deus em nós, existe alegria. Nos alegramos no Senhor (Fp 4:4), e nossa alegria é completa nele (Jo 15:11). Ela nos deixa mais belos (Pv 15:13). Deus é quem nos enche de alegria e paz, fazendo-nos transbordantes de esperança (Rm 15:13). Em Sua presença há alegria (Sl 16:11), e nossa força advém de Sua alegria (Ne 8:10). Até mesmo nas dificuldades devemos nos alegrar (Tg 1:2-3), pensando no amadurecimento que aquilo pode nos trazer. E quando erramos e nos aproximamos dele, Ele nos devolve a alegria (Sl 51:12). Podemos ter a certeza que mesmo vivendo momentos de tristeza e dor, seremos consolados (Jó 33:26), e um dia nossa alegria não terá mais fim (Jo 16:22).

Viver alegre é viver com Jesus no coração sim. É abraçar a esperança da vida eterna. É enfrentar os desafios da vida. É espalhar boas novas. É aguardar o redentor que vive. Viva a alegria. Pratique e compartilhe-a!

Por: Francieli Capellari Gonçalves, congrega na IAP em Paranavaí-PR, formação em Ciências Contábeis

Nenhum comentário

Comentários estão desativados